Laranja Mecânica: Aprecie sem Moderação!

O calor aqui em Belo Horizonte está escaldante. Guardadas as devidas proporções, parecido com o do deserto do Saara. Daqui a pouco vou estar vendo Oasis em plena Avenida Afonso Pena.

Mas nada que me impeça de escrever meus posts. E hoje quero falar de Laranja Mecânica, de Stanley Kubrick. Antes de começar a falar do filme, quero fazer uma pergunta: vocês sabem porque o filme tem esse nome? Olha, eu também não sabia e em minhas pesquisas pela net, descobri a resposta no blog da jornalista Letícia Ramos, o Aham Letícia ( adorei o nome). Envie um e-mail e ela me autorizou a publicar aqui a explicação para o nome do filme que estava postada no blog dela. Quero mais uma vez agradecê-la pela gentileza.  Uma fofa, não? Então vamos lá:

Ao final do livro de Anthony Burguess encontramos um glossário para a gíria “nadsat” falada pelos personagens. Um estudo mostra que a grande maioria das expressões deriva do russo. Por exemplo: Baboochka, do russo Babooshka (avó) ; Devotchka, do russo Devochka (garota). O livro foi escrito no auge da guerra fria e Burguess provavelmente imaginou ou brincou com a possibilidade de que a grande polarização econômica entre EUA e URSS iria gerar no futuro efeitos culturais e lingüísticos na Inglaterra. Outras expressões do glossário “nadsat” são gírias, trocadilhos, novos sentidos para velhas palavras, etc. O título original do livro, “A ClockworkOrange” não significa apenas a tradução literal – Laranja Mecânica. Uma das expressões encontradas no glossário com um novo significado é justamente orange, que além de laranja passa a designar também “homem”. Isto se dá por um trocadilho feito com a semelhança fonética de orange com orangutan (orangotango, primata altamente desenvolvido, e como o gorila e o chimpanzé, “parente” do homem). Ou seja, temos aí “Homem Mecânico”, que é o que Alex se torna após o condicionamento, um ser programado, sem poder de escolha. Outra versão seria de que o termo vem de uma velha expressão “Cockney” que designaria tipos estranhos (havia a expressão tão esquisito quanto uma Laranja Mecânica – “as queer as a clockwork orange”); há certa ironia em dizer que algo orgânico possa ter mecanismos e engrenagens.
     Alex De Large, o nome do personagem principal, além de ser anagrama de Alexandre, o Grande, tem um significado extra: A-lex, do latim sem lei. Ele é um ser guiado por seus instintos e interesses, desprovido de moral ou consciência. ( Fonte site Aham Letícia)
Entenderam tudinho crianças? Com a explicação da Lê ficou fácil né!
Então apreciem Laranja Mecânica sem moderação!
 
Alex mal que nem um pica-pau

Alex mal que nem um pica-pau

 
Olha, estou em super débito com vocês. Vou ter que ficar devendo o outro post do filme Laranja Mecânica, o post sobre mulheres iludidas e a novidade do blog.  Prometo que amanhã estarei mais tranquila e posto para vocês!
 
Bjos!
 
Site Aham Letícia: http://leticiaramoss.blogspot.com.br/
 
 
 
 
Anúncios

Sobre Uma Jornalista

Formada em Jornalismo pela PUC Minas em 2011.

Publicado em dezembro 19, 2012, em Uncategorized e marcado como . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: